Até então, a fala tem o e, li, ou, lou. Reparando melhor consigo ver que o lou tem dois componentes :

  1. quando representa todos os membros do que se está a interligar
  2. quando representa apenas um desses membros

Portanto, temos de discernir o lou.

O 1º componente do lou (1.) já tenho um conceito, a que chamei de li.

O 2º componente (2.) também já tenho um conceito, a que chamei de ou.

Logo, o lou representa a possibilidade de um desses dois componentes ser verdadeiro.

Assim, dentro do lou, encontramos 3 conceitos: o li, o ou e a possibilidade.

Este último conceito (a possibilidade) chamarei de l (lendo-se le em Português).

E com o l entramos no reino das possibilidades, também chamado de reino do quântum li do reino popularmente conhecido como esotérico (que eu pouco conheço, pouco ouvi falar).

Não pretendo entrar muito neste reino do quântum, deixando apenas o ponto de união, em que a fala concreta (fala que estudei nestes 3 últimos posts) e a fala quântica se convergem.

Esse ponto é o l (lendo-se le com uma paragem no e).

Nestes 3 últimos posts; que foram lou, li li agora com o l; o estudo da fala é/tornou-se neiri (não verdadeira, não falsa).

Nota engraçada: É engraçado que, a fala de quântum li tanto é parecida. Há a possibilidade de significarem a mesma coisa :smiley:

Nota: O l é um L minúsculo, não um i maiúsculo.